terça-feira, 13 de abril de 2010

A Musica Doutrina da Harmonia




“ Aquele cujo a Arte consiste em deleitar os ouvidos e enternecer os corações,
muitas ciladas se lhe arrumam!.. Obras Póstumas

A música, já foi motivo complexo de discussão noutros tempos, pela sua complexidade e profundidade a que ela submete os seres.
A música tem a sensibilidade de orientar as emoções e de recatar as mentes, para a reflexão e actividades de índole generosa.
A musica no Espiritismo deve ser harmoniosa, provida de sentimento e que desperte os valores do equilíbrio emocional, da tranquilidade e a paz interior.
No entanto é preciso, diferenciar musica para relaxar, com o objectivo de tranquilizar os trabalhadores espíritas, antes da sua faina e musica como terapia emocional e de equilíbrio da mente. Claro que não vai ser colocado um som pop nos trabalhos, mas sim algo que providencie, a serenidade e paz interior, antes deles se iniciarem.
A harmonia na musica, é toda sensação envolvente, que ao fazer uso dos sentidos auditivos cria energias metódicas e generosas, no espírito que a sente de uma forma ou de outra, independe sempre do que se escuta, mas da predestinação para captar o som de forma balsâmica, o amor que se coloca, e a busca que se faz ao fundo da própria letra e musica. A exemplo a musica harmonizada seja qual o tipo da mesma ( pop , rap, romântica, blues , cósmica, meditação……) pode deixar um espírito em vias de transporte tranquilizador e a outro num estado indiferente, depende sempre da postura com que estamos a analisar o momento, as afinidades, e as nuances positivas que daí possamos retirar.
Importante é também o grau de sensibilidade de quem a produz, um espírito evoluído sente-se bem com a musica que pode harmonizar um grupo, ou um simples ser, desde que daí lhe traga a felicidade, mesmo que relativa, logo a musica é o sal e açúcar, das almas e é benéfica mediante aquilo que se procura nela.
Penso mesmo poder dizer que a musica é o companheiro da reflexão, o amigo da solidão, e o irmão da tranquilidade, seja qual for o gosto ou o sentir, porque as emoções variam sempre pela afinidade de gostos e afins.
Logo amigos se somos espíritos quando numa sala de harmonização, devemos colocar o eco do coração e da alegria, afim de transitar, duns para os outros aceitação do saber ouvir, saber estar e fazer eclodir em cada ser a força activa do carinho e respeito pelos outros…porque a musica também trás em si ensinamento…ouve-a, sente-a, divide-a, isto é intercâmbio e em nome do amor e respeito mutuo, é fruto que renova as mentes e as leva a participar dum momento, conjunto de afabilidade.
A musica harmónica é isto, claro temos que ver ao que se destina, local, meio e quais os objectivos a que ela se destina.
O Espiritismo, não tem a modalidade inquisitória, nem é dogmático, a musica é perfume dos espíritos, logo ninguém pode por em causa a sublimidade da transmutação de energias sonoras e do equilíbrio que nos traz. A música é Arte, e toda ela é demonstração de beleza na alma.
“ A música é médium da harmonia “ Obras Póstumas

Victor Passos ( cravo)