segunda-feira, 22 de março de 2010

CONSEQUÊNCIAS DOS EXCESSOS



Aquecimento global


Os factores, apontados por Ecologistas e Cientistas, essas mudanças, são tais como o efeito estufa, buraco na camada de ozónio, poluição atmosférica e aumento na produção de gás carbónico.
A principal consequência é o aquecimento do clima da Terra, ou seja uma alteração do factor térmico, ou seja, da temperatura. Provocando o aumento da temperatura dos oceanos e o degelo dos glaciares. Entre previsões obscuras e a realidade há uma grande distância, já que as projecções com modelos matemáticos levam em conta diferentes variáveis, mas o facto é que o planeta está ficando mais quente e o nível do mar está subindo.

Vista da praia da Ilha Tuvalu

Há alguns factos que podem ser considerados como indícios do aquecimento global e da elevação dos oceanos. O nível do mar está subindo e em alguns lugares os efeitos já estão a ser sentidos. A ilha Tuvalu, que fica no Sul do Oceano Pacífico, enfrenta o aumento da ocorrência de ciclones tropicais na última década, causados pelo aumento da temperatura das águas superficiais do oceano, o que intervém na ocorrência das tempestades. Porém o maior problema é a elevação do nível do mar, inundando as áreas mais baixas, com a água salgada contaminando a água potável e a agricultura. A população de 11 mil habitantes da ilha Tuvalu Nova Zelândia, decidiram abandoná-la.

A Holanda, foi em grande parte da zona costeira construída através em diques no mar do Norte, daí a apreensão das constantes monitorizações, tudo devido à preocupação da subida das águas.

Os pesquisadores dizem que a elevação do nível do mar não se dá apenas devido ao derretimento de gelo e aumento de massa, mas também pela propagação térmica da massa líquida do oceano e consequente aumento de volume.
O Degelo

O fenómeno do derretimento dos Glaciares acontece no Pólo Norte e no Pólo Sul. O mais preocupante com relação ao aumento do nível global dos oceanos é o derretimento das camadas de gelo na Antárctica, no Pólo Sul, porque o glaciar está sobre um Continente enquanto o gelo do Pólo Norte está sobre a água. A Antárctica reúne cerca de 90% de todo o gelo da Terra e, segundo projecções do IPCC, se todo este gelo fosse derretido o mar subiria 60 metros.
É preocupante também o derretimento das geladeiras montanhosas. A água que desce das montanhas contribui para aumentar o nível do mar. Nos últimos 30 anos, o degelo das montanhas está a ser verificado em vários continentes, nos Andes, nos Alpes e nos EUA.
No Árctico nesse mesmo número de anos o gelo marinho diminuiu cerca de 40% e nos próximos seis anos os mares podem subir cerca de 6 metros.

Antropogénico

Efeitos, processos, objectos ou materiais Antropogénico são aqueles derivados de actividades humanas, em oposição a aqueles que ocorrem em ambientes naturais sem influência humana.
Este termo é muitas vezes utilizado no contexto de externalidades ambientais na forma de resíduos químicos ou biológicos que são produzidos como sub-produtos de actividades humanas. Por exemplo, é largamente aceite que a produção de dióxido de carbono é o factor principal por detrás da alteração climática de origem
Desflorestação
Desflorestamento é o processo de desaparecimento de massas florestais (bosques), fundamentalmente causada pela actividade humana. A desflorestação é directamente causada pela acção do homem sobre a natureza, principalmente devido a abates realizados pela indústria madeireira, tal como para a obtenção de solo para cultivos agrícolas.
Uma consequência do desflorestamento é o desaparecimento de absorventes de dióxido de carbono, reduzindo-se a capacidade do meio ambiente em absorver as enormes quantidades deste causador do efeito estufa, e agravando o problema do aquecimento global.

Impactos Ambientais

Os Impactos ambientais causados pelo desflorestamento são diversos e dentro deles está um problema ambiental bastante preocupante que é a emissão de gases de efeito estufa e a principal causa dos impactos de actividades humanas no sistema de clima é o uso de combustíveis fósseis nos países desenvolvidos.


Escurecimento global


Escurecimento global é a designação dada à redução da quantidade de irradiação directa global na superfície terrestre, observada ao longo de várias décadas após o início de medições sistemáticas na década de 1950. Pensa-se que tenha sido causado por um aumento da quantidade de aerossóis atmosféricos, como o carbono negro, devido à acção do Homem. Este efeito variava com a localização, mas sabe-se que a nível mundial a redução ocorrida foi da ordem dos 4% ao longo das três décadas entre 1960 e 1990. Esta tendência inverteu-se na década de 1990. O escurecimento global interferiu com o ciclo hidrológico por via da redução da evaporação e pode ter estado na origem de secas ocorridas em várias regiões. Por outro lado, o escurecimento global cria um efeito de arrefecimento que poderá ter mascarado parcialmente os efeitos dos gases do efeito estufa no aquecimento global.

Evaporação

Ao longo dos últimos 50 anos, os dados sobre evaporação obtidos por meio de tanques evaporímetricos os têm sido cuidadosamente estudados. Durante décadas, ninguém prestou grande atenção aos dados obtidos com tanques evaporímetros. Mas na década de 1990 os cientistas repararam em algo que na altura foi considerado bastante estranho: a velocidade de evaporação estava a diminuir apesar de se esperar que aumentasse devido ao aquecimento global. A mesma tendência foi observada na China ao longo de um período similar. A diminuição da irradiância solar tem sido apontada como sendo a força por detrás deste fenómeno. No entanto, ao contrário de outras regiões do globo, na China a diminuição da irradiância solar não foi sempre acompanhada por um aumento da nebulosidade e precipitação. Acredita-se que os aerossóis podem ter um papel decisivo na diminuição da irradiância solar observada na China

Imagem da NASA mostrando esteiras de condensação produzidas por aviões e nuvens naturais. O desaparecimento temporário de esteiras de condensação sobre a América do Norte devido à suspensão dos voos após os ataques de 11 de Setembro de 2001, e o aumento da amplitude térmica diurna que daí resultou, forneceu uma evidência empírica do efeito de finas nuvens de cristais de gelo na superfície terrestre.

As cinzas vulcânicas dispersas na atmosfera podem reflectir os raios solares para o espaço arrefecendo o planeta. Foram observadas diminuições na temperatura da Terra após grandes erupções vulcânicas como as do Monte Agung, Bali em 1963, El Chichón, México, 1983, Nevado del Ruiz, Colômbia 1985 e Pinatubo, Filipinas, 1991. No entanto, mesmo no caso de grandes erupções, as nuvens de cinza dissipam-se passado relativamente pouco tempo.

SEQUELAS DO SOBREAQUECIMENTO